"Você encontra milhares de pessoas e nenhuma delas te tocam, e então, você encontra uma pessoa, e a sua vida muda. Para sempre."
(Love & Other Drugs)

PROCURAR CAPÍTULO

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Capítulo 87: O que sabe sobre amor?

Capítulo Anterior:
Ela não vestia mais o vestido, agora vestia uma camisa larga e um short jeans. Reparei em seu rosto, que estava limpo, sem nenhum vestígio de maquiagem. Pude ver perfeitamente suas olheiras. Os olhos avermelhados assim como a ponta do nariz e as bochechas. Ela havia chorado. Chorado muito!




Capítulo dividido:
Parte II.

Demi’s POV

Isso não poderia estar acontecendo! Deus devia estar zoando com a minha cara, querendo se divertir ás minhas custas ou eu devo ter enlouquecido e estou tendo alucinações, ouvindo coisas que não existem. Estou torcendo pra isso.
Olhei por cima do ombro de Nicholas e vi minha mãe atrás dele, Eddie estava ao seu lado. Eles se aproximaram ficando cada um do lado de Nicholas. Isso foi á prova de que eu não estava tendo alucinações e muito menos ouvindo coisas que não existem. Ela realmente estava ali. E eu realmente estou fodida!

- Então, vocês vão dizer ou não o que deveriam ter me contado há muito tempo? – Perguntou séria.
- Mãe, calma, nós... – Nicholas me interrompeu.
- Eu amo sua filha, Dianna! –Falou rápido e alto. Merda! Será que ele não sabe conversar?
- O quê?! – Perguntou e me encarou imediatamente. – Do que vocês estão falando? O que vocês têm pra me contar? Me falem agora! – Falou ríspida.
- Mãe, calma, por favor. Não tem motivos pra você ficar assim. – Falei tentando me manter calma.
- Calma? Como você quer eu tenha calma depois de ouvir o que eu ouvi do meu patrão?! – Gritou. – Me contem de uma vez por todas o que está acontecendo, cacete. – Exigiu.
- Nicholas e eu estamos juntos. Estávamos, aliás. – Falei.
- Juntos como?! – Ela perguntou enquanto Nicholas se aproximava de mim.
- Juntos como um casal. – Respondi e senti os dedos de Nicholas se entrelaçar aos meus.
- Quê? Você está louca? Percebe o que está dizendo, Demetria? – Nos olhou incrédula.
- Não estou louca. Nós doi... – Ela me interrompeu.
- Vocês dois? Vocês dois não existem. Você ainda é menor de idade... – A interrompi.
- Legalmente, já sou maior de idade, tenho dezessete anos. – Falei firme, me surpreendendo comigo mesma.
- Legalmente você é maior de idade pra beber, sair e dirigir. Não pra se envolver com um homem que tem a idade pra ser seu pai. E mais, você mora sob meu teto, eu pago suas contas, ou seja, me deve satisfações e obediência. – Retrucou tão séria e firme quanto eu.
- Dianna, não fale assim. Os ouça antes de qualquer coisa. – Eddie se intrometeu.
- Ouvi-los? Você está ao menos entendendo o que está acontecendo aqui? – Perguntou furiosa, encarando Eddie. – Meu patrão tem um caso com minha filha de dezessete anos. Dezessete anos.  – Acrescentou.
- Dianna, eu amo sua filha. Nunca faria mal á ela. – Nicholas falou sério encarando mamãe.
- Isso não está certo. Será que você não percebe? Demetria é uma criança e você é um homem adulto. Até horas atrás você estava noi... – Ela parou de falar imediatamente, como se estivesse pensando em algo. – Espera... Você é a garota que ele estava falando? – Me encarou.
- O quê? Quê garota? – Perguntei confusa.
- A garota a qual ele citou antes de terminar seu noivado com Olivia na frente de todos. A garota a qual ele disse que estava tendo um relacionamento em segredo. – Explicou.
- Você fez isso? – Encarei Nicholas.
- Fiz. – Respondeu, me encarando. Se a situação fosse outra, eu o beijaria agora. Escutamos mamãe pigarrear. Voltamos a encara-la.
- Não acredito que mentiram pra mim dessa forma. Eu confiava em vocês! – Falou incrédula.
- Mãe, não fique assi... – Ela me interrompeu.
- E você quer que eu fique como? Vocês dois estavam juntos! Minha filha e meu chefe juntos! – Gritou.
- Dianna, se acalme! – Eddie pediu.
- Não peça pra ficar calma. Você não percebe o que está acontecendo?! – Falou em meio de gritos.
- Sua filha gosta do seu chefe, que é mais velho que ela, e ele também gosta dela. É simples e natural. Muitos relacionamentos têm diferenças de idade e dão certo. – Eddie falou calmo.
- Por que você está os defendendo? – Perguntou desconfiada.
- Porque eu sabia de tudo e mesmo não concordando com a opção deles de esconder o relacionamento, eu respeito-os. – Respondeu direto.
- Você  sabia e não me disse nada? Como pôde Eddie? – Gritou ainda mais.
- Porque isso não tratava de mim e, sim, deles. E agora entendo porque eles tinham receio de lhe contar a verdade. – Respondeu.
- O que quer dizer com isso? – Perguntou com a voz mais baixa agora.
- Olha o seu estado. Estou desconhecendo você. – Respondeu.
- Me desconhecendo? Como quer que eu fique ao saber que minha filha, de dezessete anos, está tendo um caso com meu chefe?! – Falou, voltando a gritar.
- Dianna, por favor, eu amo sua filha. Nunca quis que nada disso acontecesse. Nós sempre quiséssemos te contar a verdade, mas tínhamos medo. – Nicholas falou. Apertei mais sua mão.
- Vocês tinham medo, pois sabiam que o que estavam fazendo era errado. E ainda é. – Retrucou séria.
- Não, mãe. – Falei alto e ela me encarou. – Estávamos com medo que você reagisse exatamente assim. Não queremos ficar um longe do outro. – Acrescentei.
- Chega disso! Chega! – Gritou ela. – Nicholas e Eddie eu quero que vocês vão embora agora. Nicholas, segunda-feira eu passo na empresa pra pedir minha demissão. – Nicholas me olhou desesperado. – E Eddie nem precisa voltar aqui. Não quero manter um relacionamento com alguém que esconde as coisas de mim. Não quero mentirosos em minha vida. – Falou alto e com raiva. – Vão embora! Já! – Voltou a gritar.

Antes que Nicholas soltasse minha mão, ele apertou-a lentamente e acariciou. Encarei seus olhos tristes e senti vontade de chorar, pois, mais uma vez, aquilo parecia uma despedida e eu não suportaria perde-lo novamente. Não depois de minha mãe ter descoberto toda a verdade.
Observei-o se afastar de mim lentamente e caminhar até Eddie, que encarava mamãe com descrença. Mamãe continuava com seu olhar acusatório em direção a Eddie e ele não falou mais nada, apenas se afastou, sem olhar para trás.

Ao ver Nicholas se afastando, meu coração se apertou e eu corri até ele.

- Demetria! – Mamãe gritou e eu ignorei-a.

Ignorei totalmente se minha mãe gritaria, se ela surtaria ou viria atrás de mim, louca pra me arrastar pelos cabelos o mais longe possível de Nicholas. Apenas corri em direção dele.
- Nicholas! – Gritei, vendo-o retirar a chave do bolso. Ele se virou no mesmo momento e um pequeno sorriso se abriu em seu rosto.

Quando finalmente me aproximei dele, abracei-o. Abracei-o com toda a força que tinha. Aquilo não era uma despedida. Aquilo não seria nosso fim.
Pode ser que agora minha mãe não nos aceita, mas logo eu farei dezoito anos e ela terá que nos aceitar. Não vou desistir de nós. Nunca iria.
- Nicholas... – Falei, encarando-o, mas ainda abraçando-o.
- Fale, amor. – Ele falou enquanto acariciava minhas bochechas.
- Espera por mim... – Falei. – Pois eu não irei desistir de nós. Nunca.  – Completei. Ele riu de um modo triste.
- Minha menina, eu demorei tanto pra te encontrar. Acha mesmo que vou desistir de você assim tão fácil? Não. Jamais. – Falou. Senti meus olhos marejarem. Apertei-os, tentando controlar minha vontade de chorar.

- Demetria, pare com isso agora. – Ouvi a voz da minha mãe e meu braço foi puxado com força. – Vamos entrar agora. – Ordenou enquanto me puxava.
- Eu amo você! – Gritou, quando eu já estava na porta de casa. Sorri.
- Eu também amo você. – Sussurrei.

Mamãe largou meu braço apenas quando entramos em casa e fechou a porta, batendo a mesma com força, logo em seguida. Ela estava com os braços cruzados á baixo do peito e me encarava da mesma forma que encarou Eddie antes. Suspirei. Não sabia o que dizer. Para falar a verdade, não tinha o que dizer. Tudo o que precisava ser dito, já foi. O que resta agora é minha mãe entender. Ou não.

- Eu não sei o que dizer sobre tudo isso. – Ela finalmente quebrou o silêncio.
- Não há nada a ser dito. – Retruquei.
- Ah, você acha? – Perguntou sarcástica. – Ainda não acredito que você estava tendo um caso com meu chefe. – Falou decepcionada.
- Eu não estava tendo um caso com ele. Estava tendo um relacionamento. Eu o amo. – Retruquei mais uma vez.
- Você é uma criança! O que sabe sobre amor? – Voltou a gritar.
- Não, eu não sou uma criança. Eu até posso ser nova, o que eu realmente sou, mas eu tendo sobre amor, pois estou amando. Eu amo Nicholas. – Falei com a voz um pouco mais alta. – Não adianta você gritar, falar ou até mesmo me bater, nada disso vai mudar o que eu sinto por ele. – Suspirei. – Você pode me proibir de vê-lo por um tempo, mas não para sempre. – Completei.


Ela continuou em silêncio, apenas me encarando. Mas ela me encarava, agora, de uma maneira triste, pensativa. Virei-me e caminhei até a escada, onde subi. Deixei minha mãe sozinha. Ela precisa pensar. Pensar sobre tudo o que disse, sobre o que Eddie disse e sobre o que eu e Nicholas disséssemos a ela.
Talvez possa ser difícil para ela aceitar o que sinto por Nicholas, mas ela terá de fazê-lo. Eu a amo com todas minhas forças, ela é minha mãe! Mas eu também amo Nicholas e ela precisa entender isso. 

______________________________________________
Segunda e última parte do capítulo 87 postada! Espero que gostem, pois eu sinceramente não gostei. Escrevi esse capítulo TRÊS vezes e ele não saiu como eu queria. Tô bem triste e espero realmente que cês curtam ele. Enfim. É isso e até segunda-feira. Beijocaaaaaas!

11 comentários:

  1. Caralho, ops. Caramba que capítulo tenso. Mas eu amei demais demais demais ele. Entendo o lado da Dianna pq realmente o lance da idade e dele ser patrão dela, torna tudo uma loucura. Mas ela pirou legal, terminou até com o Eddie? Como assim. Fique de cara.
    Amei a Demi e o Nick, principalmente pq depois de tudo que passaram se eles desistissem agora que a verdade veio a tona, eu batia neles.
    Cara muito curiosa pra saber oq vai ser daqui pra frente. Tomara que a Dianna pense melhor e veja que exagerou um pouco. E espero que ela acabe aceitando eles. Eles se amam, tem que ficar juntos logo.
    Orando aqui, pro fds passar rápido pq preciso do capitulo segunda.
    Beijo beijo beijo
    Mila :)

    ResponderExcluir
  2. Finalmente essa mentira acabou.. dá até um alívio, não sei como você queria mas adorei o capitulo assim. Choque dela pensar que eles estavam juntos a primeira vez foi mais forte, e mesmo ela achando que era mentira, na segunda ela ficou decepcionada claro mas ela ver eles juntos hoje como casal pode ajudar um pouco.. sabe ver eles de mãos dadas, abraçados, assumindo o amor um pelo outro é possível que ela entenda melhor. De primeira é um baque mas depois que ela parar pra pensar nas atitudes deles nos últimos tempos o que Nick disse no noivado e muitas outras coisas ela pode começar a ver eles com outros olhos, espero. Bjs ate segunda
    Ass.: Cys

    ResponderExcluir
  3. Senhor, que capitulo foi esse? Pelo menos a mentira acabou, finalmente
    Tomara que a Dianna pense melhor e veja o quanto eles se amam
    Mais mais mais *-*

    ResponderExcluir
  4. Postaaaaaa ♡♡♡

    ResponderExcluir
  5. Nossa, nunca imaginei essa reação da Dianna, até o Eddie, coitado.
    Sei que deve ter sido um susto, mas espero que agora ela veja melhor o amor deles e tudo se resolva.
    Anciosa aqui. Beijo

    ResponderExcluir
  6. Respostas
    1. Gente, não pude postar, tive que fazer meu projeto de TCC. Sexta-feira eu posto!

      Excluir
  7. Vou chorar. To chorando, já. O fim tá próximo e as lágrimas também.

    ResponderExcluir
  8. Gente, não pude postar, tive que fazer meu projeto de TCC. Sexta-feira eu posto!

    ResponderExcluir