"Você encontra milhares de pessoas e nenhuma delas te tocam, e então, você encontra uma pessoa, e a sua vida muda. Para sempre."
(Love & Other Drugs)

PROCURAR CAPÍTULO

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Capítulo 88: Demetria e eu iremos nos mudar.

Capítulo Anterior:
Ela precisa pensar. Pensar sobre tudo o que disse, sobre o que Eddie disse e sobre o que eu e Nicholas disséssemos a ela. Talvez possa ser difícil para ela aceitar o que sinto por Nicholas, mas ela terá de fazê-lo. Eu a amo com todas minhas forças, ela é minha mãe! Mas eu também amo Nicholas e ela precisa entender isso.



Capítulo dividido:
Parte II.

Nick’s POV

Segunda-feira, nove e vinte da manhã.

Se o meu sábado foi horrível, meu domingo conseguiu ser pior ainda, pois a única coisa, ou melhor, a única pessoa que eu conseguia pensar era Demetria. Não tive noticias dela pelo restante do final de semana, nem dela e muito menos da sua mãe. Kevin esteve em meu apartamento e conversou comigo sobre tudo o que aconteceu. Disse que nosso pai estava furioso e nossa mãe estava tentando acalma-lo, tentando amenizar a situação e o tempo todo ela defendia minha relação com Demetria. Fiquei feliz em saber isso, mas não quero ver meus pais brigando por causa de mim ou do meu relacionamento com Demetria, que agora, mais do que nunca, é incerto.

E se meu sábado foi horrível e meu domingo pior ainda, não tenho palavras para definir o quão ruim foi minha segunda-feira. Primeiro: acordei com uma puta dor de cabeça, pois no dia anterior, domingo, afoguei minhas magoas na minha última garrafa de Whisky. Segundo: cheguei tarde á empresa. E terceiro e o mais importante de todas: Dianna não estava lá como em todas as manhãs, quem estava lá era Karen, uma substitua de Dianna. Meu todo corpo ficou tenso e meu cérebro ficou alarmado.

A minha manhã de segunda-feira começou ruim e permaneceu assim, eu estava de com um mau humor do caralho e não queria ser visto e nem incomodado por ninguém. Agradeci por não ter nenhuma reunião hoje, pois com toda certeza não teria temperamento para tratar os negócios com meus sócios.

Ocupei minha mente com os contratos que teriam que ser assinados e com alguns croquis que precisavam ser revisados e com outros croquis que seriam aprovados para nova coleção. Ao olhar aqueles croquis, lembrei da minha coleção exclusiva, que seria em homenagem á Demetria. Se antes eu tinha alguma duvida se lançar essa coleção era a coisa certa, hoje eu tenho certeza que é a coisa certa a se fazer. E ao invés de lança-la no Natal, lançarei no final deste mês, como uma coleção surpresa. Uma coleção que será de total autoria minha.
Talvez isso não prove a Dianna o quanto eu ame a filha dela, mas eu quero fazer isso por Demetria, porque eu a amo e quero demonstrar isso a ela e ao mesmo tempo mesmo quero inclui-la em meu trabalho. Quero conciliar a mulher que eu amo com o que eu mais gosto de trabalhar.

Quatro e quatorze da tarde.

O meu dia se passou consideravelmente rápido e graças a Deus eu consegui focar mais minha mente no trabalho do que em arranjar um jeito de falar com Demetria ou até mesmo vê-la, o que deu terrivelmente errado quando pensei sobre o assunto. Com certeza Dianna a deixou de castigo, não tenho duvidas que retirou de perto de sua filha todos os meios de contatos comigo ou qualquer pessoa relacionada a mim e é possível que tenha a obrigado a faltar aula, com receio que eu fosse vê-la na escola – e eu até pensei em fazer isso, mas de alguma maneira inexplicável consegui me conter.

Escutei batidas da porta e quando dei permissão para entrar, Karen colocou-se dentro de meu escritório e caminhou em minha direção. Ela estava séria.

- Algum problema? – Perguntei, largando minha caneta.
- Ah, Dianna está aqui. Ela quer falar com o senhor, não a deixei entrar pois o senhor pediu que ninguém lhe incomodasse. – Respondeu receosa . Acho que essa mulher tem medo de mim.
- Tudo bem. Peça que ela entre. – Falei cansado e suspirei da mesma forma. Karen apenas assentiu e fez seu caminho e saindo de meu escritório.

Levantei-me e caminhei até o frigobar, que havia em meu escritório, e retirei dali uma garrafa de água gelada. Caminhei até uma instante que continha livros e um jogo de dez copos, peguei dois copos e voltei a minha mesa, colocando-os sobre a mesa e depositando uma quantidade de água igual nos dois.

A porta de meu escritório foi aberta novamente e vi Dianna entrar, deixando a porta fechada, e caminhar em minha direção. Ela estava séria e vestia uma roupa confortável.
- Boa tarde, senhor Jonas. – Falou séria, ficando em minha frente.
- Sabe que não precisa me tratar assim, Dianna. – Comentei. – Sente-se, por favor. – Indiquei a cadeira em frente a minha mesa.
- Realmente eu não preciso, eu necessito. – Retrucou. – Não quero me sentar, obrigada. O que vim fazer aqui será rápido. Quero tratar logo da minha demissão, não quero mais perder meu tempo. – Acrescentou séria.
- As coisas não precisam ser assim, Dianna. Vamos conversar melhor. No sábado estávamos todos nervosos, mas hoje não. Podemos resolver isso. – Pedi tentando me manter calmo.
- Conversar melhor? – Ela riu debochada. – Você estava transando com minha filha, uma garota mais nova que o senhor e quer que eu faça o quê? – Perguntou direta. Arregalei meus olhos ao ouvir aquilo e quase me afoguei com a água, que estava bebendo.
- El-a – Gaguejei. Ótima hora pra isso. – Demetria lhe contou isso? – Perguntei, encarando surpreso.
- Sim. Eu a ameacei. Se ela não me contasse, eu a levaria a um ginecologista. – Respondeu.
- Você não pode fazer isso... Quer dizer, Dianna, você não é assim. Você é uma mulher racional, mas acima de tudo é sentimental. – Retruquei sério.
- Fui tão sentimental, que não vi o que estava acontecendo bem debaixo do meu nariz. Eu confiei no senhor, achei que se preocupava com Demetria, mas na daquilo era preocupaçã... – Eu a interrompi.
- Eu me preocupo, sim, com Demetria. Não sei quantas vezes vou precisar repetir que amo sua filha. Tudo o que eu senti por Demetria, nunca senti por mulher nenhuma em toda minha vid... – Ela quem me interrompeu agora.
- Por favor, Nicholas, poupe desse discurso. Não sou obrigada a nada disso. – Falou ríspida. – Não vim falar sobre isso. Quero minha demissão, apenas isso. – Acrescentou.
- Tudo bem, Dianna. – Suspirei me dando por vencido. – Lhe darei demissão sem justa causa e isso lhe dará todos os seus direitos e benefícios, não quero que você saía perdendo em nada. – Falei indo me sentar em minha cadeira e pegando a papelada.

O processo de demissão não era tão demorado e complexo. Apenas peguei o papel de demissão de Dianna e preenchi com seus dados, depois assinei e carimbei com o símbolo autentico da empresa.
- Tem certeza que quer isso? – Perguntei, erguendo o papel.
- Toda. – Respondeu e pegou o papel de minha mão.
- Passe na mesa de Karen e ela finalizará o processo, lhe dando as devidas instruções. – Comentei. – Também lhe fazer uma carta de recomendação, vai te ajudar bastante. – Acrescentei calmo.
- Eu sei o que devo fazer, senhor Jonas, já fiz muitos processos de demissão, lembra?! – Falou. – E não se preocupe com carta de recomendação, eu abrirei meu próprio negócio. Não irei precisar disso. – Apenas assenti.
- Irá abrir um negócio em Los Angeles? – Perguntei surpreso, mas feliz.
- Em Los Angeles não, no Texas. Demetria e eu iremos nos mudar. Se minha filha não quer se afastar de você por bem, fará isso por mal e eu faço questão de dar um empurrãozinho. – Falou convicta, direta e... .

Se antes eu estava feliz por Dianna, agora eu não estava apenas triste como também estava com raiva e me sentindo sem chão. Ela não podia fazer isso. Simplesmente não podia.
Ela quer afastar de Demetria de mim. Quer nos afastar por bem ou por mal.
Sempre gostei de Dianna e sempre tive muito carinho por ela, mas nesse momento eu estou a odiando muito. Ela está conseguindo ser mais miserável que Olívia.

Eu realmente esperava qualquer coisa de Dianna. Que ela me batesse, que gritasse comigo até sua voz se esgotar ou que me xingasse dos piores nomes possíveis, mas nunca esperaria que ela fizesse algo desse tipo por pura maldade. Entendo que ela quer proteger a filha, mas agora ela não quer apenas proteger Demetria, ela quer se vingar por nós termos mentindo, ela quer nos dar lição por termos a enganado.


Não podia deixar que isso acontecesse. Não podia deixar que Dianna afastasse Demetria de mim. Será que ela não percebe que isso não fará mal só a mim, mas como também á Demetria. 

__________________________________________________
Segunda parte do capítulo 88 postada, ainda tem a terceira parte, que vai ser bem tensa. Postei o capítulo tarde, pois estava terminando de escrevê-lo, então, se tiver qualquer erro de português me desculpem, esse capítulo saiu meio que na pressa, mas fiz o meu melhor. Vish, gente e agora? Dianna tá saindo melhor que a encomenda hein. Tá conseguindo ser super do mal com Nemi. Contem aí pra mim o que cês acham que vai rolar nos próximos capítulos. Me contem como cês imaginam o final dessa história. Beijocas e até amanhã com CC. <3

10 comentários:

  1. Pqp não acredito que Dianna está fazendo isso. Merda merda merda. Tô sem palavras, ela foi mega malvada. Querer separar eles assim? Que vacilo.
    Coitado do Nick. E coitada da Demi também, deve 3stat querendo se matar.
    Poxa a mãe do Nick dando a maior força e Dianna fazendo isso. Tô triste
    Louca aqui pelo próximo. Anciedade à mil
    Bjos Mila :)

    ResponderExcluir
  2. De boca aberta aqui. Dianna enlouqueceu
    Nossa, preciso muito do próximo. Por favor por favor por favor

    ResponderExcluir
  3. Que merda. Não acredito nisso. Piração geral de vez. Gosto muito da Dianna mas ela viajou. Querer levar a Demi pra longe. Que odio no coração é esse?
    Poxa vida. Coitado do Nick e da Demi
    Próximo please!

    ResponderExcluir
  4. Dianna surrou, so pode. Não é possível que ela não tenha pensado direito sobre o assunto. Querer levar a Demi pra longe?
    Quero mais, preciso de mais
    Beijos Kiki

    ResponderExcluir
  5. Ansiosa aqui ♡♡♡

    ResponderExcluir
  6. É minha gente acho que en matéria de maldade nessa não fica um pra trás. Logo você Dianna, tô desacreditada. quando eu vi o título eu ate tava na esperança de ser Nemi se mudando. Tô pensando no Eddie tadinho, coloca juízo na cabeça da Dianna que ela deu uma saida da casinha. Bjs e ate a próxima. Ao mesmo tempo que eu quero ler mais e mais, eu percebo que estamos perto do fim não quero que twc acabe. ♥
    Ass.: Cys

    ResponderExcluir
  7. [Se prepara pro texto ] Enquanto eu estava escrevendo o outro comentário eu me lembrei de um capítulo de uma viagem de fds nemi e o travis apareceu não me lembrava direito e não tinha certeza se era twc ou outra mas aí fui procurar e achei aquele fds maravilhoso dividido em CINCO partes (não sei como não morri) e acabei relendo um monte de capítulos antigos e caramba quanta coisa aconteceu ein, me peguei rindo quase em todos os capítulos não sei pq mais eu lia e vinha uma sensação engraçada, ver como eles estão hoje, onde eles chegaram ate agora e como era no comecinho, minha reação estranhamente é rir, eu entrei na história de uma maneira muito boa. Tem vários capítulos que eu amo e as vezes eu lembro e fico querendo ler de novo. Ja ta batendo uma saudade, uma vontade de reler, uma nostalgia sabe, finalmente achei o capítulo que estava pensando e Nick e Demi quando estão com ciúmes, meu Deus é hilário. O início do relacionamento deles o Nick como sempre um mentiroso de primeira, Travis, a criança rabiscada em formação kkk o cordão que ela deu pra ele de aniversário com um pingente de águia, Demi não querendo que ele fique com a calcinha dela, a insegurança dele que como ele mesmo disse ridícula de tão grande que era, a Demi finalmente dizendo o primeiro eu te amo e ele não queria assumir que também amava ela, as vinganças, as reconciliações tantas e tantas coisas que ja passaram e eu não me lembrava mais e foi ótimo lembrar. OMG olha a hr, Jesus amado eu tô cheia de coisa pra fazer hj, tem bienal e eu viajando aqui, cheia de dlcoisa ora fazer ainda. Tô fperdida a hora passou que eu nem vi. fuuui.
    P.s.: tô atrasada com os capítulos de cc mas assim que der, essa semana eu acho, eu ja leio e comento e volto o cronograma todinho e fico a par de tudo de novo. Bjs e nesse clima de despedida com uma pitada de desespero eu vou indo.
    Ass.: Cys

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, eu até fiquei sem palavras. Fico muito feliz em saber que algo que eu fiz causa uma reação tão boa em alguém. Ás vezes eu paro pra pensar e chego a conclusão de que não deveria ter criado o blog ou ter o excluído de uma vez por todas, pois quereno ou não é algo que me consume tempo, mas quando eu vejo comentários desse tipo, mesmo sendo apenas de uma pessoa, entendo o porquê do blog ainda estar na ativa. Esse tipo de comentário me dá vontade de continuar escrevendo, continuar tentando causar uma reação boa nas pessoas. Obrigada de coração, você sempre é um amor e fico feliz em ter alguém tão fiel as histórias. <3

      Excluir