"Você encontra milhares de pessoas e nenhuma delas te tocam, e então, você encontra uma pessoa, e a sua vida muda. Para sempre."
(Love & Other Drugs)

PROCURAR CAPÍTULO

domingo, 14 de abril de 2013

Capítulo 36: Não temos nada para conversar.



Capítulo Anterior:
Não queria que ninguém me incomodasse. Não hoje. Me deitei na cama, liguei a tv e fiquei ali, comendo, bebendo refrigerante e vendo um filme babaca, que estava me arrancando risadas mais babacas ainda.




Joe On
Mesmo me distraindo com o filme, não parava de pensar em Demi. Isso é incrível. Estava pensando nela, mais que o normal. Tirei o celular do meu bolso e disquei o número dela, o celular dela tocou algumas vezes, mas logo foi atendido. Ouvi sua voz, e meu corpo se arrepiou. Ela parecia estar brava, na verdade, ela estava!

- Ligação  -
- Demi: O que você quer?
 - Perguntou seca.
- Joe: Nós precisamos conversar. – Falei calmo.
- Demi: Não temos nada para conversar. – Falou seca.
- Joe: Você acha mesmo? Eu acho que, temos sim!
- Demi: Querido Joe, o que você acha ou não, pouco me importa. Você já conseguiu o que queria e eu também. Nós dois sabemos, que a única coisa que queríamos um do outro, era sexo. Nada mais e nada menos. Agora que ambos conseguimos, você não precisa mais fingir. Eu escutei você falando tudo e sabe, eu sinto o mesmo!
– Falou seca.
- Joe: Se você realmente achasse isso, não teria atendido meu telefonema. – Falei vitorioso.
- Demi: Foda-se você, Joseph Jonas! – Falou seca e desligou o celular.
- Ligação -
Não sabia realmente, se a Demi tinha dito aquilo por dizer, para se defender, para manter aquela pose de durona ou se ela realmente, falou o que sentia. Preferi acreditar na primeira alternativa. Levantei-me da cama, caminhei até o closet, onde peguei uma cueca e uma toalha, depois caminhei até o banheiro. Liguei o chuveiro e entrei em baixo d’água fria. Deixei que água gelada, lavasse meus pensamentos e de alguma forma, me ajudasse. Saí do banheiro só de cueca e com os cabelos molhados. Joguei-me em minha cama novamente e fiquei pensando no que fazer essa tarde.
Joe Of
Demi On
Depois da ligação do Joe, fiquei pensando em tudo que havia dito a ele. Não sabia explicar, da onde saíram aquelas palavras, porque eu realmente não acreditava nelas. Mas para mim, pouco importa. Joe é babaca! Sinceramente, depois que ele havia me abraçado na noite passada, achei que ele algo nele havia mudado, mas não, ele continuava o mesmo. Babaca, cafajeste, prepotente e fútil. Aposto que segunda-feira, ele vai falar para os seus colegas do futebol, que transou comigo. Afinal, era só isso que ele queria. O tempo todo. Depois da noite com Joe, me sentia diferente. De alguma forma, mais do que desejada, me sentia amada. Mas isso era apenas, fruto da minha imaginação.
Daqui pra frente, irei ignorar Joe, trata-lo como um verme, que é como ele merece. Se ele achava ruim, o jeito que eu o tratava no começo, ele não vai ter palavras para definir, o jeito que eu vou trata-lo daqui pra frente.
Há umas semanas atrás, meu pai havia me dado uma câmera profissional, para eu fotografar. Achei aquilo, a coisa mais ridícula do mundo. Pois fazia anos, que não fotografava nada, talvez tenha até perdido o jeito. Ainda não tinha tirada a câmera da caixa, na verdade, nem tinha encostado a mão nela. Peguei a caixa, tirei a câmera e comecei a pôr os acessórios que faltavam, depois a coloquei dentro da mochila, coloquei também, meu maço de cigarro, isqueiro e diário. Vesti um shorts jeans rasgado, uma blusa preta básica, um colete preto por cima, uma botina preta, deixei o cabelo solto, colocando nele uma bandana preta e fazendo um laço em cima e por último meu óculos preto. Estava pronta! É isso, iria voltar a fotografar, iria passar minha tarde fotografando. Como os velhos e bons tempos. Acho que por mais que passasse os anos, fotografar, nunca deixaria de ser minha grande paixão.
Peguei minha bike e sai por ai pedalando, sem rumo. Não queria saber para onde iria, só queria ir. Enquanto pedalava, ia pensando que, essa minha vontade de voltar a fotografar, voltou a minha mente, depois da noite com Joe. Mas sinceramente, não queria mais pensar em Joe. Nada o que fosse relacionado a ele, me interessava. Não mais...
     Depois de fotografar paisagens maravilhosas, lugares exóticos e pessoas interessantes, sentei em um banco, guardei a câmera e tirei o diário, uma caneta e junto a ele, tirei meu cigarro e isqueiro. Acendi o cigarro, dei algumas tragadas e em seguida, comecei a escrever.
“ Uma noite, Alex. Apenas uma noite, parece ter mudado minha vida. Será que isso é possível?
Nas outras vezes, que havia transado com outros garotos, nenhum deles, havia me afetado tanto, como o maldito Joseph Jonas. Por mais que aquelas coisas que ele havia me dito, me magoaram profundamente, não consiga deixar de imaginar coisa com ele, coisas boas... Coisas que me fazem ter vontade de viver, de lutar e de ser feliz. É engraçado, porque a pessoa que me faz sentir essas coisas, é a pessoa que eu dizia odiar. É a pessoa que magoou. Vida parece estar zoando com a minha cara. Por que logo, Joe, me faz sentir essas coisas? Por que logo, Joe, me faz imaginar, SONHAR, com essas coisas? Por que essa pessoa, não poderia ser Travis? Não, Travis, nunca poderia ser. Porque o que eu sinto por Travis, é amor de irmão. Mas também, eu não amo Joe. Não mesmo. Ele só me faz sentir coisas, que á muito tempo, eu tinha desistido de sentir, por medo. Medo de sofrer, medo de me decepcionar.
– Pare de escrever e dei algumas tragadas em meu cigarro. – Agora em diante, eu quero esquecer tudo o que aconteceu com Joe. Afinal, desde o começo foi um erro. Tudo! Pensei, que se transasse com ele naquele noite, os meus sentimentos confusos desapareceriam. Mas ao invés disso, só ficaram mais confusos e eu só me decepcionei mais ainda. Ou talvez, meus sentimentos estejam tão claros, que eu não queira enxergar e por não querer isso, me decepciono. Sinceramente Alex, estou torcendo para que tudo isso, que eu estou sentindo,não seja amor, não seja paixão. Porque eu realmente, não quero isso, não preciso disso. Eu não vou precisar menos ainda, se for de Joe... 22/03/2013.”
Depois que terminei de escrever, acendi outro cigarro e o fumei lentamente, dando várias e várias tragadas. Será mesmo que eu sou tão fechada, ao ponto de não perceber que possa estar “afim” de Joe? Se isso for realmente verdade, prefiro continuar fechada. Terminei de fumar meu cigarro e o joguei fora. Arrumei minha mochila, coloquei em minhas costas e subi em minha bike, pedalei de volta para casa. Quando cheguei em casa, eram 20h, provavelmente meu pai e Carmem estava jantando. Subi para meu quarto, coloquei a mochila em cima cama, fui até o closet, peguei uma toalha e um roupão, e caminhei em direção ao banheiro. Liguei a banheira e entrei na mesma. Tomei banho lentamente, e enquanto tomava banho, fumava mais um cigarro. Estava fumando mais que o normal, e sinceramente não gostava disso. Dei mais algumas tragadas no cigarro e depois o joguei fora. Comecei a me lavar. Sai do banheiro, com roupão, depois sai do meu quarto e fui em direção á sala de estar, onde encontrei meu pai e Carmem, sentados, conversando e jantando. Sentei-me ao lado de Carmem.
- Carmem: Como foi o passeio? – Perguntou animada.
- Demi: Foi ótimo! – Falei e forcei um sorriso.
- Patrick: E a festa, também foi ótima? – Ironizou.
- Carmem: Patrick! – Falou, em reprovação.
- Demi: Foi ótima também, pai. – Falei,meio emburrada.
- Carmem: Achei que você não tomaria coragem para voltar a fotografar. – Falou, mudando de assunto.
- Demi: É. Eu também não...Fazia tanto tempo.
- Patrick: O que pretende fazer esse final de semana? – Perguntou.
- Demi: Fotografar bastante e talvez, ir em algumas festas com a galera. – Falei, me servindo. – Por que? – Perguntei curiosa.
- Patrick: Porque sua mãe vai vim para cá. Ela quer te ver. – Falou sério.
- Demi: O QUE? – Perguntei, em um grito.
- Carmem: Demi, acalme-se. – Falou calma.
- Demi: ME ACALMAR? COMO VOCÊ QUER QUE EU ME ACALME? QUEM AQUELA MULHER PENSA QUE É, PARA VIR AQUI E VIM ME VER? – Continuava gritando.
- Patrick: Ela é sua mãe e ela tem todo o direito. Ela disse que te ligou várias vezes, mas você nunca atendia.
- Demi: Minha mãe? Minha mãe? Você por acaso está se ouvindo? Acho que não. Mãe é quem cuida, é quem apoia, é quem te ajuda quando você precisa, é quem nunca desisti de você. Aquela mulher só me pariu, mas nunca foi a minha mãe e já é tarde demais para ela ser minha mãe. Não atendi as ligações dela, porque simplesmente, quero esquecer da existência dela! – Falei, mais calma.
- Carmem: Demi, não fale assim da sua mãe. Ela deve estar com saudades de você.
- Demi: Saudades? – Zombei. – Sabe o que ela realmente vai vim fazer aqui? Ela vai vim aqui, para ver se a sua filha retardada, ainda não arranjou um jeito para se matar, ou para te enlouquecer. – Apontei para meu pai. – Ela está pouco se fodendo para mim, ou para você. E você sabe muito bem disso! Então, por que insisti em pôr ela em nossas vidas? Nós estamos muito bem sem ela. Nossa vida, sempre foi boa sem ela. Não vou receber essa mulher aqui! Você entendeu bem? Diga a ela, que ela não venha, pois não vai receber nada além de desprezo, da minha parte. – Falei, me levantando.
- Patrick: Aonde você vai? Não vai jantar? Temos que conversar, Demetria! – Falou sério.
- Demi: Estou sem fome e já falamos tudo o que devíamos conversar! – Falei, saindo da sala de estar.
Quem aquela mulher pensa que é, para vir aqui me visitar? Como se alguém nessa casa quisesse vê-la. Aquela mulher, perdeu toda a pouca vergonha na cara, que tinha. Aposto que o babaca do Eddie, aceitou tudo numa boa, como se fosse a coisa mais normal do mundo. Ela não podia vim, eu não queria que ela viesse! Já faz mais de 4 meses, que estou aqui, sem ela e estou ótima, estou muito bem. Longe daquela futilidade, longe daquela falsidade, longe de tudo o que me sufocava, de tudo que me fazia mal. E agora, ela acha que pode vim de uma hora para outra, me ver. Como se fosse a mamãezinha, mas zelosa do mundo. Falsa, fútil, mentirosa e desprezível! Cheguei ao meu quarto, tranquei a porta e fui atrás do meu cigarro. Sim, iria fumar de novo! Era única coisa que me acalmava.
-----------X-------------
Desculpa não ter postado ontem, onde eu estava não tinha internet ): Bem, espero que vocês gostem desse capítulo e também, se vocês tiverem alguma sugestão para de me dar nos capítulos fofo de Jemi, eu agradeço, porque não sou boa nisso uheue. 6 comentários p próximo cap!!

8 comentários:

  1. Aaaaah ta cada dia mais perfeita sua fic, estou amandoo <3

    ResponderExcluir
  2. capitulo esta perfeito, cada vez mais perfeito, o que vai acontecer?!
    Posta logo
    beijos

    ResponderExcluir
  3. aaaaamei, posta logo!

    ResponderExcluir
  4. Perfeito, demi emburrada como semmmpre

    ResponderExcluir
  5. to louca pra saber como eles vão reagir face to face.
    Postaaa logooo pleaseee

    ResponderExcluir
  6. Manow já estou esperando 2 dias!!!
    Cade Cade Cade o capitulo!!!????
    Super ansiosa!

    ResponderExcluir